Fachada da Suprema Corte dos Estados Unidos
Fachada da Suprema Corte dos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

A Suprema Corte norte-americana deu aval positivo sobre a possibilidade de examinar as disposições contra a discriminação a LGBTs. A medida vem contra o governo do presidente Donald Trump, que não aceita inclui-lá as aplicáveis às mulheres.

O tribunal prometeu estudar os três processos, nos quais estão sobre sua responsabilidade, até o fim do ano. Assim dando esperança que o assunto não fique engavetado como deseja o governo dos Estados Unidos.

O primeiro processo que tramita na corte, diz respeito a um funcionário de uma funerária, que foi demitido após o mesmo informar a empresa o seu intuito de mudar de sexo. Os demais se referem a empregados homossexuais que alegam ter sido demitidos devido a sua orientação sexual.


A corte máxima americana prevê uma decisão sobre o assunto apenas em 2020. A corte é integrada por cinco juízes conservadores e quatro progressistas. Eles terão que decidir se a Lei de Direitos Civis de 1964, que proíbe discriminação no local de trabalho. Nesta caso, por motivos de raça, cor, religião, sexo ou etnia, também se aplica à orientação sexual e a identidade de gênero.