Papa Francisco
Papa Francisco (Foto: reprodução)

O Papa Francisco reconheceu na noite deste domingo (31) que se equivocou ao afirmar que “todo feminismo termina sendo um machismo de saia”. Segundo o líder da Igreja Católica, a “frase justa” que deveria ter pronunciado é que “todo feminismo pode correr o risco de se transformar em um machismo de saia”.

Papa que já foi ovacionado por afirmar que, um homossexual não pode sofrer represália quando procura a igreja católica, também foi execrado em decorrência de um afirmação proferida em agosto de 2018. Segundo ele, homossexuais precisariam de psiquiatra. Sobre esta respectiva afirmação, o Papa também de se retratou. Ou seja, é explícito que talvez ele seja um tanto impulsivo ao falar. O fato é que, após as repercussões negativas, ele volta atrás e assevera que as interpretações são errôneas.

Foi uma frase dita em um momento de muita intensidade, quando estava escutando o testemunho de uma mulher que estava na linha que eu queria e me dirigi ao feminismo com um pouco mais de crítica”, justificou durante entrevista ao canal espanhol La Sexta.


Na entrevista, o papa admitiu ainda que as mulheres são pouco representadas na Igreja Católica. “O que temos atingido é nos dar conta que a figura da mulher vai além da funcionalidade: a Igreja não pode ser Igreja sem a mulher porque a Igreja é uma mulher, é feminina, é ‘a Igreja’, não ‘o Igreja’”, declarou.