Podólogo
Podólogo (Foto: Reprodução/Internet)

Um médico da Pensilvânia foi acusado de assédio sexual durante um exame para tratar o tornozelo de um paciente. O profissional, no entanto, afirmou que tudo não passou de um “grande mal-entendido”. Q

Segundo o Queerty, a Polícia registrou o caso como agressões indecente. O incidente alegado aconteceu depois de horas em 14 de março em uma clínica de medicina esportiva em Quarryville, Pensilvânia.

A vítima alega que marcou uma consulta com o dr. William Vollmar, de 56 anos, no dia 14 de março, para examinar o tornozelo lesionado. Após 10 minutos de cconsulto ele teria queetionado ao rapaz se ele queria ser “trabalhado”.


A vítima diz que ele interpretou a pergunta como o médico querendo saber se gostaria de qualquer trabalho de quiropraxia. E após a afirmativa, o médico começou a tocar suas partes íntimas.

Depois de um momento de choque, a vítima disse à polícia que ele impediu que o acusado continuasse. Vollmar então perguntou “Você quer que eu termine você?”, disse a vítima que pediu para parar e terminou a massagem. Ele alega que em nenhum momento consentiu que fosse tocado.“

Vollmar confessou que enquanto estava trabalhando os quadris da vítima, pensou que o homem havia manifestado interesse em mais que uma massagem.  Então, “tocou seu pênis”, revelou.

Perguntado se a vítima realmente lhe deu permissão para fazê-lo, Vollmar disse que não, acrescentando que ele “não estava muito orgulhoso” do que ele havia feito.