Janelle Monáe no clipe de PYNK
Janelle Monáe no clipe de PYNK (Foto: Reprodução)

Após Janelle Monáe lançar os videoclipes de Make Me Feel e Pynk, ambos foram explicitamente Queer. As especulações sobre sua sexualidade ficaram fora do controle.

A cantora comentou à Revista Rolling Stone, sobre o assunto, assim abordando o tema polêmico publicamente pela primeira vez. Ela afirmou estar “aterrorizada” com que os outros pensariam depois de sair armário como pansexual, e agora se assumindo Queer.

Monáe disse que ser uma mulher negra, e ainda por cima queer, pode dificultar a divulgação de seu trabalho. “Ser jovem, queer e negra na América significa que você pode ser mal compreendida”, afirmou ela.


A artista ainda disse foi criada e educada no Kansas, que teve um papel fundamental no fato dela ter tido grande dificuldade em aceitar a sua sexualidade. “Eu cresci lá, em uma cidade muito pequena, e fui criada em uma igreja batista, ser qualquer coisa diferente de heterossexual é um pecado nessa comunidade, e enquanto eu crescia, sempre me disseram que eu iria para o inferno se eu não fosse hétero”.