Fernando Haddad
Fernando Haddad (Foto: Divulgação)

Diferentemente de seu principal opositor nas eleições passada, Fernando Haddad (PT-SP), fez diversas promessas em benefícios da comunidade LGBT. Porém, durante uma discussão com o filho do atual presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ), Carlos Bolsonaro, Haddad perdeu a mão e teve uma atitude considerada homofóbica.

Tudo começou quando o petista ressuscitou um tuíte antigo do presidente Jair Bolsonaro. Nele, o então deputado federal chamava o Bolsa Família, de Bolsa Farelo. Assim questionando se o 13º salário do programa social, recém anunciado pelo atual chefe de estado, não seria apenas uma forma de aumentar a popularidade  do presidente no Nordeste.

Em resposta, Carlos Bolsonaro, que não havia sido citado na postagem, comentou em tom de ironia “Chora marmita!!!”. Neste momento, Haddad respondeu com uma pergunta homofóbica “Priminho tá bem?”.


Haddad se referia aos boatos que Carlos teria um envolvimento amoroso com o próprio primo. A declaração foi encarada por alguns, como se ser gay fosse uma forma de ridicularizar o vereador. A discussão entre eles não parou por ai.

O filho de Bolsonaro revidou com outro comentário. “Continua chorando marmita???”, foi quando Haddad de uma forma contraditória, pediu tolerância a Carlos. “Ao invés de dar bandeira, faça algo pelo Rio. Pelas vítimas das enchentes, pela família trucidada em Guadalupe. Não promova a intolerância: cresça e fale com seu pai.”, respondeu o ex-prefeito.