Elton John
Elton John (Foto: Divulgação)

O cantor britânico Elton John juntou-se ao apelo do ator norte-americano George Clooney para que se boicotem os hotéis do sultão do Brunei, Hassanal Bolkiah. “Elogio o meu amigo George Clooney por tomar uma posição contra a discriminação anti-gay e a intolerância que estão a ter lugar na nação do Brunei – país onde os homossexuais são perseguidos ou pior – ao boicotar os hotéis do sultão”, escreveu o cantor britânico de 72 anos no Twitter. “Devemos enviar uma mensagem, como possamos, de que esse tratamento é inaceitável”, concluiu.

George Clooney anunciou o boicote aos hotéis que pertencem a um sultão de Brunei. A decisão veio após o monarca baixar duras leis contra minorias, que prevê, inclusive, pena de morte por apedrejamento para membros da comunidade LGBT.

Brunei é um país que fica no Sudeste asiático, cujo governo denomina-se como Monarquia islâmica. A própria ONU também se manifestou sobre o caso e pediu que fosse modificada a decisão. O novo ordenamento, prevê a amputação de uma mão ou de um pé em caso de roubo. Esta última tem similitude com o talião, lei frequentemente expressa pela máxima: olho por olho, dente por dente.


A plenitude do novo código está previsto para vigorar em 3 de abril. Não obstante, cada vez mais artistas aderem à causa. O boicote, que é bem diferente de censura, é uma prática cada vez mais comum, executada por personalidades da mídia e ativistas. Vale frisar que, censura é uma proibição formal, já o boicote
é um ato de abstenção voluntária, com algum intento ou em nome de alguma causa.