Jean Wyllys e Olavo de Carvalho
Jean Wyllys e Olavo de Carvalho (Foto: reprodução)

A terceira temporada de conversa com Bial, estreia nesta terça-feira (9) e trará duas percepções políticas opostas. Desta forma, Pedro Bial viajou para os Estados Unidos com intento de ouvir dois brasileiro que, mesmo autoexilados, continuam envolvendo-se com as questões prioritárias do país.

Olavo adquiriu vários admiradores por ser um dos precursores a criticar incisivamente a agenda da esquerda do ponto de vista econômico e cultural. Segundo ele, o marxismo cultural era algo introjetado hegemonicamente na classe artística e nas escolas. Contudo, Ideias plurais são imprescindíveis, mas a sociedade se transforma. Ou seja, é preciso ter cuidado ao qualificar qualquer mudança na sociedade como fruto do marxismo.

Bial testemunhou, de certa forma, a origem dos dois fenômenos. Em 1997, entrevistou Olavo de Carvalho para a Globonews. “Foi a primeira vez que ele apareceu na televisão. Agora, chamei o Olavo para rever aquela entrevista de 22 anos atrás, olhar tudo o que aconteceu de lá para cá”, contextualiza.


Jean

O Deputado foi eleito pela primeira vez em 2010. Contudo, há uma diferença gritante entre os votos recebidos em 2010 e nesta eleição.

Não obstante, Jean faz parte da história desta nação, pois foi o primeiro homossexual assumido a lutar pela causa LGBT no congresso. Vale frisar que, Clodovil Hernandes também foi deputado, entretanto, sempre se intitulou conservador acerca dos costumes. Já revelou, inclusive, ser contra gays se casarem na igreja.

Para Bial, além do autoexílio, ambos têm em comum o fato de que possuem um projeto de país, mesmo caminhando por direções opostas.

“São brasileiros que sofrem o Brasil, intelectual e emocionalmente. Talvez por isso não tenham conseguido ficar aqui. Estão fora, mas permanecem ativos e influentes”.

Vale frisar que, o contraditório é essencial em um Estado Democrático de Direito. Sobre isso Bial afirma.

“Ideias opostas não necessariamente precisam se excluir. Elas devem conviver. É assim que é a democracia”.

A entrevista com Olavo de Carvalho vai ao ar na quarta-feira (10/4) e a com Jean Wyllys na quinta (11/4), sempre depois do Jornal da Globo.