Bandeira trans
Bandeira trans (Foto: Reprodução/Internet)

Dois meses depois do assistente do general da Guarda Nacional da Califórnia anunciar que não iria dispensar as tropas trans. Outros quatro estados estão seguindo o mesmo exemplo.

Os governadores do Novo México, Oregon, Nevada e Washington decidiram manter seus soldados transexuais. A medida vai contra o pedido do presidente Donald Trump, de 2017, que bania os soldados trans das forças armadas.

Cada um dos 50 estados tem suas próprias unidades da Guarda Nacional, principalmente sob o controle do governador. Por causa disso, tem a autonomia de não seguir uma norma vinda de uma instância maior. Mesmo que esta seja oriunda da Casa Branca.


“Não vamos dispensar nenhum transgênero de servir em nossa Guarda Nacional. Nem este discriminaria alguém com base em sua identidade de gênero.”, disse uma porta-voz da governadora do Novo México, Michelle Lujan Grisham, ao The Daily Beast.

A diretora de comunicações do governador de Nevada, Steve Sisolak, afirmou que o estado não faz segregação. “O Estado de Nevada não discrimina ninguém, incluindo e especialmente membros de serviço, com base na identidade ou expressão de gênero.”

“Usarei todas as opções disponíveis para garantir que todos os cidadãos do Oregon, independentemente da identidade de gênero, possam servir ao seu estado e país”, declarou o governador Kate Brown.

Em Washington, um porta-voz do governador Jay Inslee disse que eles se solidarizam com os transgêneros norte-americanos. Em oposição a essa política e não vão parar de lutar até que seja derrotado.

“Até lá, continuaremos a dar as boas-vindas aos membros do serviço transgênero ao máximo possível sob as regras.”, continuou o porta-voz. “É nosso entendimento que é o que o Novo México também está fazendo.”, concluiu.