Visibilidade Trans
Visibilidade Trans (Foto: reprodução)

Uma transexual acusa uma casa noturna de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, de agressão transfóbica. O caso teria ocorrido na madrugada deste domingo (17), e está sob investigação da Polícia Civil local. A ocorrência foi despachada nesta segunda-feira (18) para identificação dos envolvidos e suas oitivas.

Luanna explicou ao G1 que a confusão iniciou após um desentendimento em relação a supostas cobranças indevidas na sua comanda. “Vi que estavam passando a mais na minha comanda, daí falei à moça: ‘Acho que você está passando a mais. Rolou um desentendimento entre eu e ela. Ela me deu um tapa na cara, e eu revidei. Aí me colocaram para fora.”

“No caminho do caixa, comecei a filmar, relatando o que estava acontecendo. Daí, tomaram o celular da minha mão, começaram a mexer, apagaram os vídeos que eu estava filmando. E roubaram todo o dinheiro que estava na minha bolsa”, relatou.


Luanna, que estava também com uma amiga, contou que foi levada para o estacionamento por seguranças quando foi agredida. “Eles me derrubaram no chão, chutaram minha cabeça. E eu falava: ‘Vocês não podem encostar em mim, perante a lei eu sou mulher, tenho documento feminino’. E ele falou assim: ‘Você é homem, você vai apanhar igual um homem'”, relatou.

A jovem ainda continuou: “Eles falavam assim: ‘Dá só na cabeça dela para não ficar marca’. Mas, mesmo assim, ficaram marcas nos meus seios, perto do pescoço, no meu ombro, no meu joelho”, acrescentou.

Luanna explicou que um exame de lesão corporal, solicitado pelo delegado, será realizado. Natural de Porto Alegre, a mulher trans pretende não continuar na cidade após o ocorrido.

Proprietário de casa noturna nega acusações

Procurado pelo G1, o proprietário da casa noturna informou que Luanna foi retirada após se envolver em uma briga com outro cliente. Ele nega as acusações de agressão por parte da equipe de segurança.