Carol Teixeira
Carol Teixeira (Foto: reprodução)

Munido de um retrocesso descomunal, instagram bloqueia terapeuta tântrica que abordava prazer feminino, Carol Teixeira. Vale frisar que, o instagram também é habituado a censurar fotos de mamilos explícitos e, qualquer postagem difundida, considerada “pornografia“. A nudez é tão natural quanto o fogo que queima e a água que molha, mas ainda causa controvérsia.

O fato é que, Carol Teixeira, abordava intensamente técnicas tântricas nas mídias sociais. Para os novatos, o terapeuta tântrico não ensina fazer sexo, sua função é trazer novas sensações e ressignificar o prazer sentido pelo corpo. É mais sobre autoconhecimento, do que sobre o sexo em si.

Carol foi bloqueada, no último domingo (17), por “violar as regras da rede social”, dizia mensagem recebida pela própria Carol. “Isso aconteceu ontem (domingo). Já mandei e-mail e não tive explicação até agora. Meu Instagram só fala de amor. Tenho um trabalho muito forte com empoderamento feminino, em dar ao prazer feminino um protagonismo que ele nunca teve. Acho que isso incomoda, não é?”, disse Carol, segundo o jornal O Globo.


Veja mais: Musical aborda a história de portador de HIV

Isto não seria nem conservadorismo, já que o conservadorismo, em sua essência, consiste em preservar aquilo que é eterno e atemporal. Isto, aparentemente, é pura censura e retrocesso.

Mensagem que repercutiu:

Após o ocorrido, uma mensagem passou a ser replicada na rede social e no WhatsApp.  A mensagem pedia a volta da conta, que tinha por volta de 39 mil seguidores. “Carol Teixeira tem curado e libertado centenas de mulheres com seu trabalho de empoderamento tântrico. Um grito de liberdade delicado e necessário contra repressão que o feminino já sofreu. Sua conta do Instagram na qual ela abordava o tema foi excluída pelo Instagram. Só aceitam o prazer feminino quando ele está no moldes do patriarcado, a mulher a serviço de uma sensualidade. Quando prazer vem como possibilidade libertação e cura ele sofre censura. Precisamos ter prazer feminino no Instagram sim. Não vão nos calar”, diz a mensagem.