Travestis e Transexuais
Bandeira do Orgulho Trans (Foto: Reprodução)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou uma travesti a cumprir a pena na qual foi condenada, na ala feminina. A área seria mais condizente com a sua identidade de gênero. A decisão foi emitida pelo ministro Rogério Schietti, que concedeu o direito em caráter liminar.

A detenta identificada como Dagmar, cumpre à punição de 13 anos, por crimes patrimoniais, em regime semiaberto. Ela pediu a transferência para o departamento feminino, alegando que a sua aparência seria mais

LEIA MAIS:


Marielle Franco é homenageada em pelo menos 18 murais pelo mundo

Fazenda de João de Deus é ocupada por mulheres de movimentos sociais

“A paciente está submetida, por falta de espaço próprio, a permanecer no período noturno em alojamento ocupado por presos do sexo masculino, em ambiente, portanto, notória e absolutamente impróprio para quem se identifica e se comporta como transexual feminina”, declarou Schietti.

O pedido de transferência havia sido solicitado pela Defensoria Pública do Rio Grande do Sul e foi negado duas vezes pela justiça gaúcha antes de ser aceito pelo ministro. Com informações do site da revista Claudia.