Jovem transexual, de 17 anos, afirma ter sido violentada por homem em Iporá (GO)
Jovem transexual, de 17 anos, afirma ter sido violentada por homem em Iporá (GO) (Foto: Arquivo Pessoal)

O pai de uma adolescente transexual acusa um homem de agredir e estuprar a sua filha. O caso teria ocorrido em Iporá, região central de Goiás. O crime aconteceu durante o carnaval e o suspeito, que não teve a identidade revelada está preso.

Segundo o denunciante, um eletricista de 40 anos, a vítima teria despertado o interesse do acusado ao encontrá-la em uma lanchonete. O acusado trabalhava no local. De lá, a jovem seguiu junto com os seus amigos para uma festa que ocorria em um largo. Em um dado momento, ela foi abordada novamente pelo rapaz.

Ele a convidou para retornar ao estabelecimento, segundo o pai, com a desculpa para conversar e se conhecer melhor. Porém, ao chegar ao local, o homem de 27 anos, tentou “forçar a barra”. “Ele a puxou pelo braço e a jogou sobre um engradado de refrigerante. Depois começou a bater nela. Minha filha quebrou uma garrafa na cabeça dele e fugiu, mas ele a alcançou, levando para o banheiro e a violentou.”, contou o pai que ainda acrescentou que a filha recebeu socos no rosto e nas costas.


LEIA MAIS:

Escola suspende aluna que respondeu grupo LGBT com versos da Bíblia nos EUA

“Estava certo ao sair do país”, dispara Jean Wyllys sobre prisão de suspeitos da morte de Marielle

Suspeito nega acusações

Em sua defesa, o suspeito negou as acusações de agressão e estupro. Segundo o delegado Marlon Souza Luz, que realizou o flagrante, ele alegou que a relação sexual foi consentida. “Ele negou a prática do estupro. Disse que mantiveram outras práticas sexuais e que tudo seria consentido. Alegou também que a vítima se lesionou ao pular a janela do estabelecimento e cair em cima dos engradados.”, disse o delegado ao G1.

Ainda de acordo com o delegado, a perícia constatou que não ocorreu conjunção, o que não descaracteriza o abuso. O suspeito foi autuado em flagrante, e vai responder por estupro qualificado, cuja pena em caso de condenação pode chegar a 12 anos.