Motorista de aplicativo
Motorista de aplicativo (Foto: Reprodução)

Um cabeleireiro e maquiador de Manaus, no Amazonas, denunciou um motorista de aplicativo contra o crime de injúria. Segundo ele, o homem teria recusado a corrida, alegando que não costumava transportar gays. O caso teria ocorrido na madrugada da última segunda-feira (11).

Hisnard Amaral contou que solicitou a corrida pelo 99 Pop, em um bar na Praça da Saudade, no centro da capital. Para a sua surpresa, após fazer a solicitação o motorista enviou uma mensagem informando que não iria buscá-lo.

LEIA MAIS: Os escândalos sexuais envolvendo K-Pop na Coreia do Sul


“Quando eu fiz o pedido, o motorista perguntou se eu estava no bar e eu respondi que sim, e foi quando ele falou para mim que se eu fosse ‘veado’ era melhor eu cancelar a corrida. Eu falei para ele que ia expor a situação e me deu uma crise de choro, de medo, eu não sabia o que fazer”, afirmou em reportagem à TV Globo.

Apesar do medo, o rapaz conseguiu pedir uma nova corrida e outro motorista o levou até sua casa. Amaral enviou uma reclamação ao aplicativo e registrou um Boletim de Ocorrência no 3º Distrito Integrado de Polícia, onde foi chamado para prestar depoimento. O caso está sob investigação no 24º DIP.

LEIA MAIS: Julgamento que discute a criminalização da LGBTfobia não tem data para retornar no STF

Amaral relatou o ocorrido em seu perfil no Facebook, que já recebeu mais de dois mil compartilhamentos. Em alguns comentários, usuários do app teria exposto problemas ocasionados pelo mesmo motorista.

Motorista é suspenso do aplicativo

Por meio de nota, o 99 Pop informou que o perfil do motorista homofóbico já foi bloqueado da plataforma. “A 99 repudia qualquer forma de preconceito e tem uma política de tolerância zero em relação a isso. A empresa se solidariza com o passageiro e lamenta profundamente. A companhia está em contato com ele para prestar todo o apoio que for necessário. Também se encontra aberta a colaborar com a polícia”, disse o comunicado.