João de Deus
João de Deus (Foto:divulgação)

O caso do médium João de Deus tornou-se notório, pois João já era conhecido e endeusado nos veículos midiáticos por suas “habilidades espirituais”. Esta apoteose de João foi tão proeminente, que chegou em Oprah Winfrey. O médium, supostamente, curava ou reconfortava quem o procurasse. Contudo, foi descoberto que João se aproveitava da credulidade para fins libidinosos.

Porém, Nesta quinta-feira (21), Nefi Cordeiro, ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça), atendeu ao pedido da defesa de João de Deus e determinou que o médium deixe a prisão para que seja internado por um período inicial de quatro semanas no Instituto de Neurologia de Goiânia, Goiás, ou outra unidade próxima.

A defesa alegou que João de Deus tem: “um aneurisma da aorta abdominal com dissecção e alto risco de ruptura sendo necessário o controle adequado da pressão arterial”. Segundo o Habeas Corpus, “A unidade prisional em que ele se encontra não dispõe de médicos suficientes para acompanharem todos os presos e que a medicação administrada ao paciente é inapropriada”. A transferência deve ocorrer nesta Sexta-Feira (22).


Veja mais: Para Pastor que orou por Bolsonaro, Feminismo estimula mulher a matar o marido, praticar Bruxaria e tornar-se Lésbica

O psiquiatra Leo de Souza Machado, que o atestou como debilitado, afirmou que o paciente apresenta “prejuízo em domínio de memória e atenção e linguagem” e o diagnosticou com quadro de depressão grave.