Casa 1 dobra meta de arrecadação e não vai fechar suas portas

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Menos de uma semana depois do seu coordenador Irlan Gustín fazer um apelo no qual pedia doações para não fechar a Casa 1, foi divulgado que a entidade atingiu a marca e não precisará mais fechar as portas. A ONG que acolhe LGBTs em situações de vulnerabilidade, em São Paulo

Com a divulgação de nomes LGBT, o local conseguiu bater o número para mais que o dobro. A arrecadação conseguirá manter o local por pelo menos mais um ano. Pabllo Vittar, Gloria Groove, Lia Clark, Lorelay Fox, Diva Depressão, foram alguns nomes, entre outros, que apoiaram a campanha.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dos R$ 36 mil iniciais pedidos através da campanha de financiamento coletivo que equivalia as doações mensais que pagaria os seus custos e ultrapassou o número pretendido que chegou a mais de R$ 80 mil.

LEIA MAIS:

Guarda civil agride jovem em frente a boate LGBT em Londrina

Homem mata casal de lésbicas à facadas em Angra dos Reis

Em suas redes sociais, Iran comemorou e ressaltou a importância de fazer as pequenas doações mensais. “É muito mais seguro que tenhamos pessoas doando R$ 10 reais do que uma doando R$ 100 reais. Isso garante que mesmo uma pessoa deixando de contribuir, as contas não ficam tão em aberto”, explicou. “Muitos acham que tão pouquinho como R$ 10 reais não ajuda, mas ajuda sim!”, concluiu.

Atualmente com 20 residentes e 41 crianças, além de cerca de 100 pessoas com doações de roupas. 300 alunos passam pela ONG por mês nos cursos de línguas, costura, canto e ioga. Ainda há o processo psicoterápico, que atende em torno de 70 pacientes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio