A transexual Samira Moreno, assassinada com dois golpes de faca na axila de Sorocaba
A transexual Samira Moreno, assassinada com dois golpes de faca na axila, em Sorocaba [Foto: Reprodução/Facebook]

Uma mulher transexual, de 24 anos, morreu ao receber dois golpes de faca após uma discussão com um homem em um bar. O caso aconteceu no último sábado (16), em Sorocaba, São Paulo.  A polícia ainda não identificou nenhum suspeito pelo crime.

Ao G1, a presidente do Conselho Municipal LGBT de Sorocaba, Luciana Leme, afirmou que a motivação para o assassinato seria a transfobia. Segundo ela, os acusados insultaram a vítima por causa da sua condição referente à identidade de gênero.

“Por três vezes os caras se referiram a ela como ‘traveco’, de forma pejorativa mesmo. Piada com o nome e com a condição de travesti, foi humilhante.”, disse.


LEIA MAIS:

Homem espancado em terminal de Laranjeiras (ES) diz que sofreu homofobia: “Falou que ali não era lugar de gay”

Suspeito de estuprar adolescente de 13 anos é esfaqueado por irmão da vítima

A mulher trans atendia pelo nome de Samira Moreno e teria brigado com um dos suspeitos. Em um acesso de raiva chegou a jogar uma garrafa contra ele, que saiu do estabelecimento após as agressões.

No entanto, o homem voltou com uma faca onde atingiu a axila dela por duas vezes. A Samu foi acionada e a levou para o Hospital Regional, onde teve duas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba investiga o caso e ouve depoimentos das testemunhas.