Reunião da Santa Casa
Reunião da Santa Casa com representantes da Secretaria de Saúde e da comunidade LGBTQ+ (Foto: Divulgação/Assessoria)

A Santa Casa de Maceió se reuniu, esta semana, com representantes da Secretaria de Estado da Saúde e da comunidade LGBTQ+. A pauta do encontro é a adoção do uso de nome social para o acolhimento de travestis e transgêneros no hospital.

Representante do Grupo Gay de Maceió, Messias Mendonça parabenizou a instituição pela iniciativa e interesse em atender às demandas da comunidade. “A direção da Santa Casa de Maceió mostrou-se empenhada em atender nossas solicitações; em conversar conosco e em como acolher os pacientes LGBT”, disse.

Veja também:

Premiada e transexual, atriz Julia Katharine estreia duplamente no cinema


Penelopy Jean comenta o que falta para a TV aberta ter um programa como Drag me as a Queen. “Tabu por muita gente”

De acordo com o TNH1, a Santa Casa definiu que irá adaptar o sistema informatizado do hospital. Assim, será possível cadastrar o nome social de pacientes que expressarem essa intenção. Assessor técnico da Secretaria de Estado da Saúde, Robert Lincoln antecipou que a instituição pode se tornar referência na assistência à saúde da comunidade LGBTQ+. É intenção, ainda, que a iniciativa sirva de inspiração para outros hospitais alagoanos e no Brasil.

Na ocasião, a ativista Rosemary de Oliveira relata que a maioria das instituições ainda ignora o nome social. Consequentemente, a negligência acontece no cadastro como também no atendimento diário pelas equipes.

Além disso, a instituição se comprometeu em orientar suas equipes, por meio da Política de Identificação de Pacientes e treinamentos. O objetivo é que os profissionais passem a atender os pacientes com respeito à identidade de gênero de cada um. “É um processo de educação continuada que estamos implementando”, considerou a gerente Tereza Tenório.