Mulher transexual denuncia agressão de grupo em Niterói
Mulher transexual denuncia agressão de grupo em Niterói (Foto: Reprodução/Facebook)

Um vídeo com o relato de uma mulher transexual após sofrer um ataque de homens começou a circular nas redes sociais. O episódio teria ocorrido no último domingo (24), em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Segundo Lua Guerreiro, as agressões teriam se iniciado após ela pedir um isqueiro emprestado em uma barraca. A vítima contou que retornava para casa com amigos, quando um vendedor do estabelecimento a destratou.

Logo as agressões verbais se tornaram físicas e outros homens se juntaram ao comerciante dando início à confusão. Ela afirma que chegaram a quebrar uma cadeira em sua cabeça durante a sessão de pancadaria. O episódio aconteceu na Cantareira, uma praça cheia de bares na Zona Sul de Niterói. 


LEIA MAIS:

Suprema Corte adia julgamento da descriminalização da homossexualidade no Quênia

Irmãos nigerianos negam pagamento de Jussie Smollett para forjar ataque homofóbico

À caminho do hospital Azevedo Lima, localizado na mesma região, a roteirista gravou o vídeo que viralizou nas redes. Segundo informações do G1, ela ainda foi destratada pela enfermeira da Unidade de Saúde que teria zombado do seu nome social. “No Hospital Azevedo Lima, uma enfermeira fez piadas com meu nome social, me tratou no gênero errado e discutiu com minhas amigas que tentaram me defender”, contou.

Lua foi até a 76ª delegacia, no Centro de Niterói para registrar queixa e passou por mais uma situação embaraçosa. Ela foi obrigada a prestar depoimento junto com alguns dos agressores que a xingaram. Ela contou que nenhum policial foi capaz de encaminhá-la a um local mais reservado. Além disso, a vítima contou que demorou tanto a ser atendida, que decidiu ir embora para escapar daquela situação. Até o momento a DP não comentou o caso.