O senador australiano Cory Bernardi
O senador australiano Cory Bernardi (Foto: Reprodução/ABC1)

O líder conservador australiano, Cory Bernardi, sugeriu que a legalização do casamento gay no país resultou em uma pressão por “leis de bestialidade”. As informações são do Pink News.

O senador ligou a legalização do casamento homofetivo à aceitação social das relações sexuais entre humanos e animais. A declaração foi feita durante uma entrevista concedida à Sky News Australia.

Bernardi renunciou ao cargo de secretário parlamentar do líder do Partido Liberal, Tony Abbott, em 2012, depois que seus comentários inflamados sobre a bestialidade, feitos durante um debate no Senado, causaram indignação.


Entretanto, no domingo (03), Bernardi manteve sua posição anterior sobre a união civil entre iguais, afirmando que sua legalização levou as pessoas a quererem o reconhecimento de casamentos poliamorosos, relações entre humanos e animais e uma menor idade de consentimento sexual.

LEIA MAIS:

Em livro, jornalista diz que Vaticano tem “uma das maiores comunidades gays do mundo”

BAFTA retira Bryan Singer como diretor em indicação de Bohemian Rhapsody

“Esta é a irracionalidade disso”, disse Bernardi no programa Sky News Australia, da Outsiders .“Eu disse no Senado [em 2012] que você teria outras ligações para redefinir o casamento usando os mesmos argumentos.”, acrescentou.

O governo australiano aprovou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em dezembro de 2017. Na época, um referendo questionou aos cidadãos sobre o seu posicionamento a respeito de uniões homoafetivas. 61,6% dos eleitores votaram a favor da medida, legalizada em seguida.