Janelle Monáe no clipe de PYNK
Janelle Monáe no clipe de PYNK (Foto: Reprodução)

Janelle Monáe dedicou suas duas indicações ao Grammy para seus “irmãos e irmãs trans”. A declaração foi feita em entrevista à Variety na sexta-feira (08).

A cantora afirmou que quando decidiu revelar a sua sexualidade, no ano passado era sobre “andar na minha verdade.”, contou. “As pessoas fazem isso todos os dias, meus irmãos e irmãs trans fazem isso todos os dias.”, continuou.

“E eles são evitados desses tipos de eventos. Então, esse é para eles”, acrescentou Monáe, indicada ao álbum do ano pela Dirty Computer e melhor videoclipe de “PYNK”.


LEIA MAIS:

Fãs criticam Madonna por brincadeira com uso de camisinha; Entenda

“Ainda bem que tenho minha mão”, dispara Marília Mendonça sobre vida sexual

Ela ressalta que ao ser indicada mostra a importância de dar voz às minorias sociais. “E o fato de que Dirty Computer é um álbum que é sobre mim e também sobre uma comunidade de vozes marginalizadas, o fato de que isso foi indicado, o que significa o mundo para mim”, disse.

Monáe revelou ainda que chegou a ser aconselhada a não sair do armário. “Sim, absolutamente. Especialmente quando você é uma mulher negra e também uma mulher negra criativa. Eu amo ficção científica, amo as artes, meu objetivo nunca foi se encaixar em nenhum tipo de categoria.”

Apesar de não levar os prêmios, Janelle Monáe esteve presente na premiação, e chegou a se apresentar interpretando a música Make Me Feel.