karin hils rouge
Karin Hils, do Rouge (Foto: Reprodução)

Uma das cinco integrantes do grupo Rouge, Karin Hils comemorou 40 anos de vida nesta quinta-feira (7). A data foi celebrada ao lado de pessoas queridas pela artista, incluindo Lu Andrade, sua companheira de banda.

Em meio às comemorações, a artista falou com a revista Caras sobre a separação anunciada recentemente do Rouge. A notícia impactou os fãs, que ficaram tristes com o fim do quinteto. Alguns ainda acreditam que tratava-se apenas de mais uma pausa, no entanto, Karin Hils jogou um balde de água fria nessa esperança. As informações são do Popline.

Leia também:


Conar abre processo ético para analisar ação da Skol em clipe de Pabllo Vittar

Com o Rouge, eu consegui ver o quanto eu amadureci como artista e como pessoa. Voltei ao grupo com toda uma bagagem. Nesse meio tempo, fora do grupo, eu fiz teatro, musical, televisão“, começou Karen.

Ouço comentários maldosos, que me entristecem. Afirmando que nós só voltamos, em 2017, porque o dinheiro acabou. É assim que as pessoas nos enxergam? Verdade seja dita, eu consegui muito mais conquistas financeiras fora do Rouge. Eu consegui ter uma vida muito boa, estável, consegui comprar uma casa no Rio de Janeiro. Coisa que, infelizmente, a banda não me proporcionou, essa é a verdade!” afirmou ela.

Futuro

A opinião da cantora em relação ao futuro do grupo, composto também por Fantine, Lu Andrade, Li Martins e Aline Wirley, é bem direta. “Cada uma estava no seu mundo e se encontrava para fazer o Rouge, mas o grupo requer uma demanda enorme. As coisas hoje em dia acontecem muito rápidas e exigem planejamento. Então nós entendemos que não dava mais para seguir dessa maneira“, confessou ela.

Veja mais:

David Miranda fala sobre Jean Wyllys, selfie com Beyoncé e ídolos LGBTs, no Põe na Roda

“Eu ouço que o Rouge acabou por minha causa, não é verdade. O grupo acabou por causa de um sistema falho. A banda exige muita demanda e nem todo mundo estava disposto e tinha possibilidade de entregar o que ele demandava. Todas precisavam estar no mesmo foco, e eu sempre chamei atenção para isso. Então para fazer mais o menos, não faz. Eu encaro como um fim, e não um hiato. Não vejo a possibilidade de voltarmos. Espero que a gente consiga continuar trilhando nosso caminho com dignidade e amor. Eu tenho absoluta admiração pelas meninas, tenho respeito. Não foi fácil para nenhuma de nós, as pessoas não tem noção. Fomos até onde deu, é isso”, completou.