Campainha instalada para acabar com a prática do banheirão em academia da rede Smart Fit
Campainha instalada para acabar com a prática do banheirão em academia da rede Smart Fit (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Instalado há alguns meses nas unidades das academias Smart Fit, o “botão de pânico” da academia segue gerando polêmica. Desta vez, a discussão movimentou o Twitter, após um texto publicado no site Medium viralizar.

Um aluno da loja na rua Augusta, em São Paulo, reclamou da campainha que está presente no banheiro masculino da academia. A mesma seria para denunciar atos obscenos, furtos e vandalismo dentro dos vestiários, entretanto, o autor do texto enxerga um caso de homofobia velada.

Para ele, o botão seria uma forma de preconceito contra gays e bissexuais, pois os banheiros são separados por gênero. Levando a crer que apenas aqueles que têm atração por pessoas do mesmo sexo estariam praticando sexo nesses ambientes.


“A quem e o que lesa a pegação escondida e consentida? O bom gosto? A hipertrofia muscular? A definição? Ou a sensação de controle total sobre as incontidas pulsões da virilidade masculina?”, questionou Erinhooos, concluindo que a medida seria ofensiva.

LEIA MAIS:

Após reclamação, cliente da Tim recebe fatura com xingamentos homofóbicos: “Mineiro boiola otário”

Luísa Sonza tem nude vazada e desabafa: “Mais um corpo”

“Trata-se de uma renúncia ao diálogo. Uma forma autoritária de fazer valer um poder unilateral, cujo efeito é o de criar um ambiente constrangedor, de hiperfiscalização entre os corpos. Um regime de instauração do medo sobre o gesto, uma verdadeira tristeza.“, pontuou em outro trecho.

Em nota à Veja, a Smart Fit contou que entrou em contato com o aluno para esclarecer a situação. A rede de academia explicou que os botões “estão instalados em todas as áreas comuns das academias e não apenas nos vestiários masculinos e femininos. Esses mecanismos têm o objetivo de garantir a segurança e a comodidade dos alunos, ao permitir o acionamento imediato de um colaborador da unidade.”