David Miranda
David Miranda (PSOL) é suplente de Jean Wyllys (Foto: Divulgação/Câmara do Rio de Janeiro)

Com a decisão de Jean Wyllys de desistir do terceiro mandato como deputado federal, quem fica em seu lugar é David Miranda, de seu mesmo partido, o PSOL do Rio de Janeiro. A desistência foi revelada em entrevista exclusiva à Folha de S. Paulo, nesta quinta-feira (24).

Jean e David têm algumas coisas em comum: são assumidamente gays e eram amigos da vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018. De acordo com o UOL, seis dias após o assassinato, o agora deputado federal homenageou a amiga nas redes sociais. “Marielle é semente! Marielle é gigante! Marielle está presente!”, escreveu.

Na entrevista, Wyllys revela que decidiu por desistir do cargo por conta das ameças de morte que vem recebendo. “Eu já vinha pensando em abrir mão da vida pública desde que passei a viver sob escolta, quando aconteceu a execução da Marielle. Antes disso, havia ameaças de morte contra mim e, curiosamente, não havia contra ela. Mas, quando rolou a execução, tive noção da gravidade. Além dessas ameaças que vêm de grupos de sicários, de assassinos de aluguel ligados a milícias, havia outra possibilidade. O atentado praticado por pessoas fanáticas religiosas.”


Leia mais:

Bruno Gagliasso concorda com críticas a novela que mostra homossexulidade como punição

Em outubro de 2018, Jean Wyllys conquistou 24.295 votos. Conseguiu uma das 46 vagas reservadas na Câmara para o Rio de Janeiro por conta do quociente eleitoral resultante da eleição de outros deputados de seu mesmo partido e coligação. Por exemplo, Marcelo Freixo, com mais de 342 mil votos, e Talíria Perone, com mais de 107 mil.

Com 17.336 votos, David Miranda se tornou o primeiro suplente da coligação Mudar é Possível, composta pelo PSOL e PCB.

David Miranda

O suplente de Jean Wyllys foi eleito para a câmara dos vereadores do Rio de Janeiro em 2016, quando disputou sua primeira eleição. É companheiro do jornalista americano Glenn Greenwald, que revelou o esquema de espionagem dos Estados Unidos descoberto por Edward Snowden em 2013.

Saiba também:

Gabriela Hebling desabafa sobre preconceito no ‘BBB19’

Em sua página oficial do Facebook, ele se apresenta como “o primeiro vereador assumidamente LGBT” do Rio. Além disso, complementa: “David Miranda é cria do Jacarezinho, negro, favelado e LGBT. Nunca conheceu seu pai e aos 5 anos ficou órfão de sua mãe”.

Nesta quita-feira (24), ele já mostrou ao que veio. Por meio do Twitter, mandou um recado direto para o presidente Jair Bolsonaro e falou com seu público.