20 pessoas foram presas com os aparelhos (Foto: ilustrativa)
20 pessoas foram presas com os aparelhos (Foto: ilustrativa)

A Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos investiga uma imagem que começou a circular nos grupos do WhatsApp. Uma mensagem convoca empresários a realizar um boicote à comunidade LGBT dentro do mercado de trabalho.

O texto incita as pessoas a não empregarem pessoas que fazem parte da comunidade arco-íris. A pessoa que se intitula proprietário de uma empresa de contabilidade em Goiânia pede para que não haja oportunidades para LGBTs. Além disso, ele complementa pedindo para aqueles já empregados sejam demitidos.

LEIA MAIS:


Kit Gay sai das fake news e ganha as ruas do Carnaval

Prefeitura de Corumbá (MS) realiza atualização cadastral LGBT para levantamento de dados

A proposta vai mais além quando ele pede para que os comerciantes não realizem vendas de produtos para esta parcela da população e que sejam aumentados os valores das mercadorias. “Vamos juntos fazer essa classe sumir do Brasil”, destacou.

O caso está sendo investigado através de prints das mensagens enviados à polícia. A delegada Sabrina Leles disse que os perfis que promovem coisas deste tipo são fakes e têm as imagens prejudicadas por este motivo.

Imagem em grupos do WhatsApp promove boicote a comunidade LGBT
Imagem em grupos do WhatsApp promove boicote à comunidade LGBT (Foto: Reprodução/WhatsApp)