A drag queen interpretada por uma mulher cis Felícia
A drag queen interpretada por uma mulher cis Felícia (Foto: Reprodução/Instagram)

Enquanto a versão original de Drag Race, RuPaul se mostra resistente a ter mulheres cis e transgêneros no elenco do programa, a Tailandesa traz uma decisão inédita em todos os lugares que o formato do programa já passou.

A performer Felicia Heals, personagem de Ekaterina Bushueva, entrou na competição como uma das concorrentes a coroa e surpreendeu por ser a primeira mulher cisgênero a se montar e participar da corrida junto com as outras que normalmente são interpretadas por homens gays.

LEIA MAIS:


Gillete lança campanha sobre masculinidade tóxica e divide opiniões

Aos 81 anos, Jane Fonda comenta sobre uso de vibradores: “Pode ser complicado”

“É controverso pra muitos, mas espero que minha participação abra portas pelo mundo pra mais aceitação e amor”, afirmou Felicia. Sua maior inspiração é a drag queen, também mulher cis Pangina, que foi uma das responsáveis por fazer Felicia entrar no reality show.

A sua chegada pode ser considerada um verdadeiro marco em termos de inclusão na história do programa. Vale lembrar que na versão original do programa, algumas participantes – homens até então definidos como cis -, e se descobriram mulheres trans durante ou após suas participações no reality.