Travestis e Transexuais
Bandeira do Orgulho Trans (Foto: Reprodução)

A Polícia Militar prendeu nesta segunda-feira (21), em Campinas (SP), o suspeito de assassinar uma travesti e retirado o seu coração. A ação ocorreu no Jardim Marisa, em Campo Belo, após ele confessar a autoria do crime.

Segundo o Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), o órgão da vítima estava enrolado em um pano debaixo do guarda-roupas do acusado. Policiais contaram ao G1, que C. S. O., de 35 anos, confessou ter mantido relações sexuais com ela antes de consumar a morte. O criminoso ainda teria roubado eletroeletrônicos da vítima, presentes na cena.

Oliveira foi apresentado na 2ª Delegacia Seccional de Campinas e concedeu entrevista a imprensa chamando a atenção por suas frases desconexas e informado que conhecia a vítima na noite anterior. “Ele era um demônio, eu arranquei o coração dele. É isso. Não era meu conhecido. Conheci ele à meia-noite”, declarou.


LEIA MAIS:

Lésbica, repórter acusa Datena de assédio sexual

Travesti de 15 anos perde oito dentes após pedrada em Rondonópolis; Polícia procura agressor

O homem foi abordado pela polícia ao apresentar atitude considerada suspeita ao avistar uma viatura. Segundo a corporação ele estava em um comércio e forneceu dados falsos aos guardas. O suspeito apresentava escoriações, arranhões e um corte recente na cabeça.

Questionado sobre os ferimentos, C. S. O. confessou o crime e levou os policiais até um cômodo onde estava o corpo da travesti com o tórax aberto. Além disso, o coração dela estava com uma imagem de um santo sobre ele.