Marido de cantora famosa utiliza aplicativo de encontro entre homens gays
Grindr (Foto: Reprodução/Internet)

Um rapaz norte-americano abriu um processo contra o Grindr após ser assediado por um ex-namorado através do aplicativo. O caso pode fazer com que o aplicativo mude a sua política de segurança.

Tudo teve início após o garçom e ator Matthew Herrick, de Nova York, terminar o namoro. Como forma de vingança, o ex resolveu criar fakes e marcar encontros com outros homens pela plataforma para sua casa e trabalho.

Segundo a vítima, ele chegou a ter cerca de uma dúzia de homens por dia em seu endereço à procura de sexo. Cansado, Herrick abriu 14 boletins de ocorrência na polícia e entrou com um processo contra o app em 2017.


LEIA MAIS:

Casal gay é vítima de agressões físicas em Pernambuco

Apple remove aplicativo de sua loja que promovia “cura gay”

Esta semana o caso foi julgado no tribunal federal de apelações dos Estados Unidos. O Grindr alega estar protegido pela lei de liberdade de expressão on-line que torna as empresas isentas de qualquer responsabilidade.

Por outro lado, os advogados da acusação utilizarão o mesmo argumento de eletrodomésticos defeituosos e que, nestes casos, as empresas são responsabilizadas pelos danos. As informações são da NBC News.