Gabriela Hebling, do BBB 19
Gabriela Hebling, do BBB 19 (Foto: Reprodução/Instagram)

Uma das representantes da comunidade LGBT na décima nona edição do Big Brother Brasil, Gabriela Hebling não faz questão de ficar calada quando o assunto é qualquer tipo de preconceito. Na quarta-feira (23), a participante do reality show da TV Globo relembrou a época de seu passado em que não aceitava ter cabelos crespos.

De acordo com o TV Foco, Gabriela falou sobre o preconceito enquanto conversava com Isabella, Hana e Alan. “Antigamente, eu amarrava blusa na cabeça para sentir meu cabelo liso. Mas nunca alisei, pois eu sentia que não era eu. Eu fazia trança só para sentir meu cabelo bater [nas costas]. Hoje, eu faço trança por outros motivos”, afirmou ela.

Leia também:


Afrontoso, Tokinho responde mensagem de ódio: “Nem me conhece e quer dar close”

Santiago revela assédio de treinador em Malhação

Pouco antes de Hebling desabafar, Hana havia feito um relato pessoal. “Meu amigo tem uma irmãzinha que é negra e ela sempre fala que meu cabelo é lindo porque é liso. Eu falei para ele que o cabelo dela também é lindo. Isso acontece por causa da escola, você tem que se ligar nessas coisas”, contou a youtuber.

O tema já foi motivo de polêmica no BBB19, por conta de outra participante, Paula, que disse para Gabriela que “também” tem “cabelo ruim”. “A Paulinha falou isso esses dias de cabelo ruim, são frases que a gente acostuma a falar, mas não é assim. Na escola, você escuta que seu cabelo é ruim, cresce para cima… Isso porque a pessoa não tem representatividade. Por isso, muitas meninas querem alisar o cabelo”,opinou Gabriela. “É difícil sair dessa bolha porque não é normativo, é institucional”, reafirmou Hana.