Vocalista do Imagine Dragons, Dan Reynolds hastea bandeira do arco-íris em show no Lollapalooza
Vocalista do Imagine Dragons, Dan Reynolds com bandeira do arco-íris em show no Lollapalooza (Foto: Reprodução/Instagram)

Declaradamente aliado da causa LGBT, Dan Reynolds comentou, em entrevista à revista Gay Times, sobre o seu trabalho como combater o suicídio dentre os jovens membros da diversidade. Por muitos anos, ele seguiu o Mormonismo, por influência da família, assim como muitos gays, que sofrem por não se enquadrarem com os dogmas da igreja.

“Nossos jovens LGBTQ criados nas religiões ortodoxas sentem o julgamento todos os dias. Há muitas pessoas que são gays e mórmons que foram expulsos da BYU por não agir de acordo com isso”, afirmou o vocalista da banda Imagine Dragons. “A única opção que eles estão dando aos nossos jovens LGBTQ é viver uma vida de celibato, que eles sabem, com base em inúmeros estudos, é tão prejudicial e leva a um maior nível depressão, ansiedade e a maiores taxas de suicídio entre jovens LGBTQ. Eles estão dizendo: ‘Fique conosco e apenas seja celibatário ou esteja em um casamento de orientação heterossexual’, o que também leva a taxas mais altas ainda de depressão e suicídio”, continuou.

Dan, entretanto, reconhece que sofre boicote da parte conservadora do seu público. “Bem, antes de tudo, você corre o risco de perder parte do seu público”, contou. “Acho que alguns artistas temem a reação de pessoas intolerantes e, para eles, eu digo: ‘Esses não são o tipo de fã que você precisa no seu show’. É mais importante que você esteja literalmente salvando vidas ao se levantar e compartilhar uma mensagem de igualdade. Mas eu acho que mais do que isso, é apenas preguiça, as pessoas dizem: ‘Bem, isso não me afeta’”, analisou.


LEIA MAIS:

Gloria Groove revela ter recebido cantadas de famosos: “Não costumo avançar em flerte”

Após sugerir morte de Jean Wyllys, desembargadora disse estar brincando

Dias Melhores

Apesar da política altamente conservadora, Dan acredita que há um movimento para mudança para melhor. “As pessoas reais, especialmente as gerações mais jovens, estão cansadas de fazer parte de algo que é tão intolerante, estão cansadas da desigualdade e, portanto, estão em conflito.”

“As pessoas estão deixando a religião porque não querem fazer parte de algo tão intolerante, ou estão ficando, mas se sentindo realmente conflituosas. Então, realmente, a pressão está em nossos líderes das crenças ortodoxas. Se eles estão ‘falando com Deus’ e recebendo revelações modernas, eu certamente espero que eles estejam orando todos os dias sobre isso, porque qualquer Deus que é amoroso e gentil como eles dizem. E eu acho que é óbvio que este Deus acreditaria em Deus. Igualdade. E se não for? Então isso não é um Deus em quem eu gostaria de acreditar”, finalizou.