O ditador chileno Pinochet
O ditador chileno Pinochet (Foto: Reprodução/Twitter)

É fake o link do texto com trechos de supostas cartas de amor gay trocadas pelo ditador chileno Augusto Pinochet e o senador Jaime Guzmán que começaram a circular nas redes sociais recentemente. As mensagens foram todas escritas em espanhol e teriam sido atribuídas a um historiador que teria as achado e divulgado.

Originalmente publicado pelo site de humor Gamba, em dezembro de 2015 dentro da sessão de humor. O texto é então uma sátira política. O fato de ser divulgado como uma verdade, seria pelo fato do material ser publicado recentemente pela página El Caminante.

LEIA MAIS:


Estilista brasileira protesta contra Bolsonaro durante desfile em Berlim

Mulher cis participa pela 1ª vez de Drag Race na Tailândia

A postagem ganhou ainda mais força na web, após a deputada estadual Manuela D’Ávila compartilhar a informação. Apenas em seu perfil no Facebook, o post ganhou mais de dez mil curtidas.

“Sugiro que leiam as cartas trocadas entre Pinochet e Jaime Guzman. Concluirão que os recalques, as frustrações, o pânico de si mesmo é parte constituinte do ódio que muitos sentem do outro. O inferno só é o outro porque o outro nos mostra aquilo que não aceitamos em nós mesmos”, dizia o texto compartilhado por D’Ávila.