professor haroldo
O professor Haroldo de Paiva Pereira morreu aos 63 anos (Foto: Reprodução/Facebook)

Na tarde de quinta-feira (17), o professor do Instituto Federal de Minas Ferais (IFMG), Haroldo de Paiva Pereira, de 63 anos, faleceu em um hospital da capital mineira. De acordo com a revista Fórum, Haroldo dava aulas de artes, era ativista LGBT e foi espancado no último sábado (12), em sua casa.

A polícia informou que vizinhos perceberam a porta da casa da vítima aberta, embora ele não tenha saído de casa. A Polícia Militar foi acionada após Haroldo ter sido encontrado caído no chão, com diversos ferimentos na cabeça e rosto. Nesta quinta-feira, ele não resistiu mais aos ferimentos.

O suspeito pelo espancamento confessou o crime, no entanto, não revelou a motivação. Os dois teriam sido vistos juntos em um bar, no dia anterior. A Polícia identificou que a moto de Haroldo foi roubada, por isso investiga o crime como latrocínio.


Leia mais:

Erick Witzel mostra antes e depois da transição de gênero em desafio nas redes sociais

Gillette lança campanha sobre masculinidade tóxica e divide opiniões

No entanto, o professor era conhecido por sua militância LGBT e discursos anti-homofobia. Sendo assim, a população local acredita que trata-se de um crime de ódio, motivado por homofobia.

O Movimento Itabiritense de Lésbicas Gays Bissexuais e Travestis (ITALGBT) publicou uma nota de pesar pelo caso. “Agradecemos imensamente a grande contribuição que Haroldo deu aos seus alunos e a sociedade ouro pretana, que será sempre lembrado pelo profissionalismo, inteligência, competência e sensibilidade para lidar com as adversidades, fazendo um enfrentamento a LGBTfobia. Sua morte não será em vão”, disse a entidade.