Assassin's Creed Odyssey
Assassin's Creed Odyssey (Foto: Reprodução)

A atualização para Assassin’s Creed Odyssey está causando polêmica entre os jogadores LGBTs. Isso porque, foi retirada por a possibilidade dos personagens engatarem relacionamentos homoafetivos.

A obrigatoriedade do game de engatar apenas relacionamentos heterossexuais, pegou muitos jogadores de surpresa já que a plataforma antigamente permitia o relacionamento de ambos os sexos durante uma playthrough.

Assim como acontecia anteriormente, os jogadores teriam que completar o enredo principal para ganhar um prêmio. Para isso, era necessário completar uma conquista. Agora, obrigatoriamente os personagens Alexios ou Kassandra tem que namorarem com um personagem do sexo oposto com o intuito de procriar, e com os filhos, manter a sua linhagem.


LEIA MAIS:

Suprema Corte dos EUA decide por veto de militares trans

“A experiência gay e negra nem sempre é contada”, diz Ncuti Gatwa de Sex Education

As críticas a exclusão da possibilidade de relacionamentos LGBT chegou até o diretor criativo de Assassin’s Creed que reconheceu que a falta de diversidade no jogo foi um erro. “Queremos estender um pedido de desculpas aos jogadores desapontados por um relacionamento do qual seu personagem participa. Nosso objetivo era deixar os jogadores escolherem entre uma visão utilitária de garantir que sua linhagem viva ou formar um relacionamento romântico.”, declarou ao site GayStarNews.

Após uma reação inicial, a Bethesda, empresa responsável pelo “DLC Assassin’s Creed Odyssey”, introduziu uma atualização para Mass Effect: Andromeda, que permiti mais relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo no jogo.