LGBTfobia
LGBTfobia (Foto: Reprodução)

Um estudo realizado em conjunto com Universidades da Austrália, revelou que um terço dos estudantes britânicos LGBTs já tentaram suicídio. O resultado foi divulgado pela revista Archives of Suicide Research.

Os pesquisadores ouviram 707 jovens, de 23 anos em média, sendo 119 destes homossexuais. Entre eles, há uma maior propensão de sofrer de auto-mutilação e tentativas de atentar contra a própria vida em relação aos heterossexuais.

A causa para tal diagnóstico está no comprometimento da autoestima como forma de discriminação sofrida por membros da diversidade. “O estudo confirma que LGBTs jovens têm índices elevados de suicídio e autoflagelação em comparação com jovens heterossexuais.”, afirmou Elizabeth McDermott uma das responsáveis pela pesquisa.


O questionário feito online, constatou que dos 65% que se declararam homossexuais já havia praticado auto-mutilação. Já entre os héteros o número está em 41%. Cortes na pele, arranhões, queimaduras e overdoses são os tipos de agressão mais comuns.

LEIA MAIS:

Apple arrecada valor recorde em campanha que arrecada fundos para o combate do HIV/Aids

Participante gay do MasterChef México acusa produção do reality de censura

Ainda de acordo com o estudo, 35% dos estudantes admitiram pelo menos uma tentativa de suicídio. Alunos heterossexuais que deram essa informação representam 14% dos entrevistados.

Peter Taylor, da Universidade de Manchester, um dos co-autores do projeto, se mostrou surpreso com os resultados. “Surpreendentemente, há poucos dados sobre os mecanismos psicológicos que podem explicar a associação entre ser lésbica, gay ou bissexual e auto-flagelo em estudantes no Reino Unido”, disse.