O ator Theodoro Cochrane
O ator Theodoro Cochrane (Foto: Divulgação)

Depois de quatro anos sem aparecer nas telinhas, Theodoro Cochrane voltou a convite de Aguinaldo Silva. O ator vive Adamastor, o faz-tudo do bordel de Serro Azul, em O Sétimo Guardião.

Segundo o UOL, dos quatro últimos personagens vividos por Theodoro na TV Globo, este é o terceiro homossexual. O ator diz não se incomodar com isso. “Assim como existem vários personagens heterossexuais, existem homossexuais. Isso é só uma característica, não é a questão principal. O Adamastor tem essa questão dentro dele, mas ao mesmo tempo tem uma história ancestral com Ondina [Ana Beatriz Nogueira]. Ele não é uma pessoa que vive única e exclusivamente em função da sexualidade dele”, afirmou.

Theodoro viveu um homossexual pela primeira vez em Macho Man (2011). O segundo foi em Saramandaia (2013), onde encarnou o delegado Petronílio Amaral. No entanto, o ator só soube que seu personagem era gay durante a gravação do último episódio da novela. Sendo assim, Adamastor é a terceira experiência do ator.


Leia mais:

Facebook passa a vetar quem se declara “ativo” e “passivo”

“São uma praga” dispara boxeador mexicano, ao falar sobre gays

A vida real

Até 2015, a sexualidade de Theodoro não havia sido questionada por conta de seus papéis. Após o fim das gravações de Geração Brasil, ele foi fotografado beijando outro homem durante o Carnaval, e tratou a situação com naturalidade. Aceitar viver novamente um gay na televisão é, de certa forma, uma resposta do ator aos ataques preconceituosos que recebeu na época do flagra. Além disso, é também uma maneira de lutar por respeito à diversidade.

“Precisamos ter um leque de personagens em tudo o que vemos na TV, assim como na vida temos todo tipo de gente e todo tipo de característica. Já estamos num momento em que temos artistas que lidam com a sexualidade de maneira mais fluida, e uma geração que lida com a sexualidade de uma maneira mais fluida. Acho extremamente importante e saudável gerar a discussão e a aceitação das diferenças”, comentou Theodoro.