Paulo Gustavo
Paulo Gustavo (Divulgação)

A orientação sexual de Paulo Gustavo, aparentemente, não é uma barreira para conquistar público. Diferente da maioria de homossexuais, o ator e humorista é bem aceito e querido por quem acompanha seu trabalho. Em conversa com o Estadão, referente à estreia de Minha Vida em Marte nos cinemas, Paulo Gustavo falou da sua percepção sobre o assunto.

Ao ser questionado sobre ter se tornado o “gay da família brasileira”, nesse contexto de país “homofóbico e cada vez mais conservador”, Paulo Gustavo se mostrou consciente de seu papel.

“As pessoas me adoram. Fiz show no fim de semana, num ginásio em São Luís (Maranhão), para milhares de pessoas. Tinha pobre, rico, negro, branco, hétero, gay. As crianças me adoram. Não sou militante, mas sou um ser político”, reconheceu.


Leia também:

Marido de Paulo Gustavo, Thales Bretas divulga a primeira foto do casal

“É machista e homofóbico” diz Carolina Dieckmann sobre seu marido da ficção

“Pago meus impostos, sou um cidadão de bem. Respeito e quero ser respeitado. Meu compromisso é ajudar as pessoas a viverem melhor. Casei com um homem, vivo feliz com ele. Não ficamos mostrando nossa intimidade, nem é preciso. Tudo tem limite, mas não abro mão de ser quem sou, como sou. Está dando supercerto”, concluiu.

Logo depois, foi enfatizada a data de estreia do filme, em pleno Natal. Paulo Gustavo deu uma mensagem específica para isso. “Tolerância, respeito à diversidade, e paz e amor pra todo o mundo. E ano que vem tem mais. Trabalho, trabalho, trabalho. Para todos, amém”, desejou.