escócia
Direitos de LGBTs serão inclusos em grade curriculares de escolas da Escócia (Foto: Reprodução)

Na contramão das políticas propostas pelo governo do presidente eleito no Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), a Escócia é comprometida com a valorização da diversidade. O país será pioneiro no ensino de direitos de LGBTs nas escolas. A conquista foi elogiada, inclusive, pelos impulsionadores da campanha Time for Inclusive Education (É Hora de uma Educação Inclusiva). De acordo com eles, a iniciativa faz parte de “um momento histórico”.

Segundo informações da Abril, o vice-primeiro-ministro da Escócia, John Swinney, afirmou que a medida chegará a todas as escolas públicas do país. Swinney, que também é responsável pela área da educação, informou que as escolas receberão os recursos necessários para adotar as medidas da iniciativa.

As temáticas a serem tratadas em salas de aula incluem a terminologia, identidades e história do movimento LGBT+. Além disso, serão abordados os preconceitos em torno da sigla, como homofobia, bifobia e transfobia. O objetivo é a garantida da promoção da educação em igualdade.


Leia mais:

“Impossível ter diálogo” declara organização lésbica, sobre encontro de LGBTs com Damares Alves

Hannah Mouncey poderá ser a primeira transexual a disputar o Mundial de Handebol

Jordan Daly, cofundador da campanha, comemora a conquista. “A implementação da educação inclusiva LGBT em todas as escolas públicas é uma novidade no mundo. Em um momento de incerteza global, isso envia uma mensagem forte e clara aos jovens LGBT daqui da Escócia”, afirmou Daly.

O vice-primeiro-ministro disse, ainda, que a Escócia é um dos países “mais progressistas da Europa, em termos de igualdade LGBT”. “Nosso sistema educacional deve apoiar todos os estudantes para que alcancem seu máximo potencial. Por isso, é vital que o currículo seja tão diversificado como os jovens que aprendem em nossas escolas”, declarou Swinney.