Foto do projeto Mulheres (In)visíveis da Adobe junto com a 65|10
Foto do projeto Mulheres (In)visíveis da Adobe junto com a 65|10 (Foto: Reprodução/Instagram)

A Adobe em parceria com a 65|10 lançou a edição 2018 do Mulheres (In)visíveis. O projeto é o primeiro banco de imagens para exaltar a diversidade entre as brasileiras.

Esta é a segunda vez que a iniciativa é realizada. Em 2017, as negras foram as protagonistas da exposição, entre gordas, lésbicas, trans e não binárias. Este ano, as mulheres deficientes e acima dos 45 anos foram os grandes destaque da mostra.

Em entrevista ao UOL, a fotógrafa responsável, Helen Salomão, explicou a necessidade de sair do lugar acomodado. “Tive que desacelerar e fazer com que as modelos se mostrassem como elas gostariam de se ver.”, afirmou ela.


LEIA MAIS:

Beyoncé cria uma bandeira LGBT no palco do seu show do Global Citizen Festival

IZA ganha “Melhor Álbum” e “Melhor Música” no Women’s Music Event Awards

Um dado da 65|10 apontou que 65% das brasileiras não se identificam como elas são retratadas na publicidade.  Por este motivo, a escolha das modelos aconteceu após a pesquisa com mais de 100 mulheres.

A diretora de marketing da Adobe para América Latina, Gabriela Viana, lembra que a publicidade tem um papel fundamental na construção do que é bonito. “Acreditamos que, por isso, deveria haver uma conscientização sobre a importância de dar visibilidade e de estimular outros ‘padrões’ de beleza e de comportamento. No cenário atual, em que a intolerância com as minorias têm ganhado tanto espaço, a iniciativa ganhou uma importância ainda maior.”