Exame anal
Exame anal (Foto: Reprodução/Internet)

A polícia da Tunísia está perseguindo homens supostamente gays e os forçando a fazer exames anais com base nas leis anti-gays. O ato foi denunciado pela Human Righs Watch, como informa o site Gay Star News.

A associação classificou a atitude como cruel, degradante e desumana, além de fazer um apelo para que o país deixe de criminalizar a pratica homossexualidade. De acordo com o código penal local relações homoafetivas têm até três anos de prisão.

LEIA MAIS:


Em vídeo, Troye Sivan nega boato de ser apenas passivo no sexo

São Paulo abre inscrições para 2° Casamento Coletivo Igualitário

“As autoridades locais não tem qualquer respeito a intimidade e práticas sexuais das pessoas, chegando a explorá-las, humilhá-las e violar a privavidade na tentativa de enquadrá-las”, disse Amna Guelali, diretora da HRW.

Em junho chegou a ser cogitado que autoridades do país estariam estudando descriminalizar a homossexualidade em seu território, mas o assunto não foi a frente mesmo com a pressão de grupos ativistas LGBTs e pelos Direitos Humanos. No início deste ano inclusive, um festival de filmes LGBT chegou a ser proibido por lá.