Bandeira da Escócia
Bandeira da Escócia (Foto: Reprodução/Internet)

A Escócia acaba de se tornar o primeiro país a incorporar o ensino dos direitos LGBTIs dentro do cronograma escolar. A medida foi aprovada nesta sexta-feira (09), e celebrada pelos ativistas LGBTs que consideraram a decisão como “histórica”. As informações são do jornal O Globo.

A proposta foi feita através das recomendações de um grupo de trabalho liderado pela campanha “Time for Inclusive Education” (TIE, sigla que, em tradução livre, significa “Tempo para Educação Inclusiva”).e aceito pelos ministros escoceses.

A partir disso, as escolas públicas passarão a ser obrigadas a ensinar a história das desigualdades e dos movimentos LGBTI, além de combater a homofobia e a transfobia e explorar a identidade dessa fatia da população.


LEIA MAIS:

Após demissão de Kevin Spacey, Netflix instala lápide de protagonista de “House Of Cards” em cemitério

Marca causa polêmica ao lançar jaqueta com estampa de xingamento homofóbico

A iniciativa foi criada após uma pesquisa encomendada pela TIE revelar que nove em cada dez membros da comunidade LGBTI no país já sofreram homofobia na escola, e 27% relataram ter tentado suicídio após serem vítimas de discriminação dentro das escolas.

A investigação também mostrou que havia pouca compreensão dentro das escolas sobre o preconceito contra pessoas com variações de orientação sexual e de gênero e corpos intersexuais.