O deputado federal Alexandre Frota
O deputado federal Alexandre Frota (Foto: Reprodução/SBT)

O deputado federal eleito Alexandre Frota desmentiu ser homofóbico e racista. A declaração foi feita em sua primeira entrevista, após as eleições a Roberto Cabrini, no Conexão Repórter.

Eu nunca fui homofóbico. [Esse rótulo] Me persegue porque a minha posição, hoje em dia, é conservadora. Eu deixei de ser aquele louco que era lá atrás. Sou chamado de racista e misógino. Essa é a maneira que a esquerda podre que existe no país tem esse discurso pré-moldado. Ela escolhe alguém que possa gerar a ele conteúdo” , afirmou ele.
O ex-ator fez duras críticas à classe artística brasileira e afirmou que a Lei Rouanet precisa passar por reformulações. “Precisa de uma reforma drástica, radical, para que possa funcionar como foi proposta. É para fomentar novos atores, atrizes e grupos de teatro. A gente é a favor da cultura. Não estou traindo a classe artística. A classe artística que traiu o Brasil durante todo esse tempo roubando os cofres públicos“, disparou.
LEIA MAIS:

Polêmica com o filho

Frota ainda falou sobre a polêmica envolvendo o seu filho Mayã, que lamentou a sua vitória nas urnas. “Ele não é filho de um ex-ator pornô, é filho de um ex-ator da Globo. A passagem das drogas, ele deveria me ter como exemplo. Isso já mexeu comigo, hoje menos, porque nunca fiz nada que pudesse gerar ódio dele a meu respeito. Não tenho problema com ele. Foi forte, mas já passou para mim”, ponderou.
“As minhas escolhas são minhas escolhas. Eu vivi da maneira que tinha que viver. Como pai não é uma derrota, é triste. Não estou disputando nada com ele, não é um jogo. Se a gente vier a se falar de uma maneira bacana, está tudo certo“, completou.