Site brasileiro ajuda gays a ‘saírem do armário’
Pai diz que o filho não é gay (Reprodução)'

Um caso emblemático de retirada forçada de um “gay” do armário está causando polêmica com o pai de um aluno do colégio Nixon-Smiley, no Texas, Estados Unidos.

Isso porque uma professora teria revelada a suposta homossexualidade de um dos seus alunos, na frente de toda a classe, inclusive na da namorada do rapaz.

De acordo com informações da imprensa norte-americana, na ocasião a docente teria dito que o jovem “é gay” e que “usa” a namorada como “fachada”.


Leia mais:

OAB recomenda que LGBTs se casem antes de Bolsonaro assumir o poder para evitar perde de direitos

“Bolsonaro vai matar viados” diz criança de 8 anos em redação na escola

Segundo o pai do adolescente, após ser forçado a sair do armário, embora o estudante não seja LGBT, o jovem passou a sofrer bullying dos demais alunos da instituição. Para o patriarca, a professora levou em consideração a aparência do aluno para pressupor que ele seja homossexual.

“O jeito que ele se cuida excessivamente, se veste e age mais delicado, mas ele não é gay por isso, e nem este seria o problema [ele ser gay]. O problema é uma professora fazer um comentário desses gerando bullying e rejeição ao meu filho em uma escola”, afirmou o pai.

A secretaria da escola disse estar “ciente” do caso e afirmou que “investigará” os fatos. O pai ressaltou que a professora se desculpou, mas, para ele, “o estrago está feito e não adianta ela se arrepender”.