Bandeira trans
Bandeira trans (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil de Belo Horizonte investiga a ocorrência de uma suposta morte de uma travesti que aconteceu na madrugada desta quinta-feira (11), na avenida Afonso Pena, entre o cruzamento com a rua Piauí, no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul da capital.

De acordo com a Polícia Militar, agentes de uma viatura que estava na região foram informados de uma briga no local, envolvendo duas travestis e três homens. Na versão dos acusados de agressão, o episódio ocorreu após um furto. As informações são do portal EM.

O trio que tem 19, 24 e 37 anos respectivamente, contou que seguia pela Avenida Afonso Pena em um carro particular quando foi abordado por duas travestis, uma loira e uma morena e perguntaram “se eram homens ou mulheres”, e que elas confirmaram ser travestis, antes de se afastar do veículo. Eles disseram à polícia que, nesse momento, perceberam que os celulares deles haviam sido levados.


Eles desceram do carro e foram atrás das travestis para recuperar os aparelhos. Segundo o registro, elas começaram a correr e foram seguidas. A morena parou e colocou um celular no chão, enquanto a loira tropeçou e caiu. Um dos homens disse que se aproximou e perguntou a ela pelo celular, ao que respondeu que havia deixado no chão. A viatura chegou logo depois.

Uma das travestis, de 26 anos, negou o furto e disse que foi agredida com uma pedrada. Com um ferimento na cabeça, ela foi levada para o Hospital João XXIII. Os policiais disseram que encontraram um celular no chão, perto de onde ela caiu. A outra travesti citada pelos homens não foi localizada.

LEIA MAIS:

Transexual é espancada por quatro homens em Nova Iguaçu, no Rio

MP-RJ identifica tipo físico do assassino de Marielle Franco

Entretanto, uma testemunha ouvida pela reportagem deu outra versão para o caso. Sem se identificar contou que uma pessoa que estava com ela na região se assustou ao ver a agressão. “A travesti gritou que tinham matado a outra, os carros começaram a parar, as prostitutas do outro lado da rua começaram a gritar. Ele falou que os rapazes desceram do carro e começaram a agredir as travestis, as duas.”

Mensagens que circulam nas redes sociais dão conta de agressão que teria sido iniciada por apoiadores de Bolsonaro, candidato à presidência pelo PSL. O relato ganhou as redes sociais depois da publicação de uma mensagem dizendo que uma travesti havia sido assassinada na avenida que não foi confirmada pelas autoridades.