Em jogo, Bolsonaro agride feministas e LGBTs
Em jogo, Bolsonaro agride feministas e LGBTs (Foto: Reprodução)

O Ministério Público Federal decidiu acatar a denúncia feita pela Aliança Nacional LGBTI+ contra o jogo “Bolsomito 2K18”, no qual traz como personagem principal o candidato do PSL Jair Bolsonaro enfrentando até a morte minorias sociais, como: LGBTs, feministas, negros e militantes da esquerda.

Através do intermédio do Procurador Sergio Gardenghi Suiama, o procedimento nº 1.30.001.004267/2018-17, no âmbito da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão – Rio de Janeiro, foi instaurado para que seja tomada as medidas cabíveis.

“Derrote os demônios comunistas neste jogo politicamente incorreto e seja o herói que livrará um país da miséria”, afirma a descrição do game criado pela desenvolvedora BS Studios.


LEIA MAIS:

Ana Paula Renault ameaça processar Nadja Pessoa após ser chamada de homofóbica

Pabllo Vittar fala sobre inspirações para novo álbum: “Referências da infância e adolescência”

De acordo com Toni Reis, diretor Presidente da Aliança Nacional LGBTI+, o jogo faz apologia à violência e colabora para disseminar o ódio contra minorias. “A democracia e os direitos humanos são os pilares do ordenamento jurídico brasileiro. Assim, o processo democrático não admite discriminações de qualquer aspecto e devem ser respeitados, acima de tudo, os direitos dos grupos vulnerabilizados, entre eles a comunidade LGBTI+ brasileira”, afirmou ele.

“O jogo desenvolvido pela BS Studio, e disponibilizado na plataforma Steam, deturpa o processo eleitoral; e, mais gravemente, colabora para a naturalização da violência contra feministas, LGBTI+, população negra e militantes. A legitimação do extermínio de populações vulnerabilizadas não tem lugar no Estado Democrático de Direito”, completou.