Clube da Agepol
Clube da Agepol (Foto: Divulgação/Agepol)

A Justiça do Distrito Federal condenou a Associação dos Servidores da Polícia Civil do Distrito Federal (Agepol) a promover campanhas de conscientização sobre os Direitos Humanos e o combate à LGBTfobia dentro do seu clube, após um diretor expulsar dois jovens por eles serem gays, em outubro do ano passado. A ação foi registrado em vídeo pelas vítimas. As informações são do G1.

Nas imagens, o homem acusa os dois rapazes de estarem “usurpando” o local por conta das suas orientações sexuais, e critica a conduta deles. “Se não saírem, eu não saio daqui. Vocês estão expulsos do clube, podem sair. Eu tô mandando vocês sair. Respeita o ambiente. Aqui não é clube de viado, é clube de homem, rapaz”, afirma ele nas imagens.

LEIA MAIS:


MPF investiga jogo que Bolsonaro mata LGBTs e outras minorias

Polícia Civil investiga agressões contra travestis em Belo Horizonte

Com o acordo, a Agepol terá agora que distribuir dentro do clube material de conscientização sobre direitos LGBT e combate à homofobia, como uma palestra sobre “combate à homofobia, e direitos humanos” para os diretores, que deve acontecer até o dia 15.

Os responsáveis jurídicos do clube se desculparam com os dois jovens ofendidos durante a audiência de conciliação. O acordo ainda prevê o pagamento de uma indenização no valor de R$ 3 mil às vítimas, por danos morais, e multa se a determinação da palestra for descumprida.

DEIXE UMA RESPOSTA