Emergência do Hospital Geral do Estado (HGE) em Salvador
Emergência do Hospital Geral do Estado (HGE) em Salvador (Foto: Reprodução/Google Maps)

O atendente de telemarketing Walter Fernandes, de 21 anos, afirma ter sofrido um ataque homofóbico durante o seu retorno do trabalho no bairro do Comércio, em Salvador. O rapaz foi surpreendido com vários golpes na cabeça. O namorado da vítima e seus familiares acreditam que a motivação seria a sua orientação sexual já que nenhum pertence foi levado pelos criminosos. 

“Não roubaram nada dele. Então, não tem como gente deduzir outra coisa, a não ser homofobia, porque isso prova que quem correu atrás dele foi apenas para agredir e nada mais. Isso é muito triste”, explicou Antônio Júnior, o companheiro da vítima ao site Bocão News.

Walter foi levado para o Hospital Geral do Estado (HGE) onde se encontra na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Ontem recebemos uma ótima notícia de que ele não estava mais respirando com o auxílio de aparelhos e isso já foi uma vitória. Estou aqui todos dias acompanhando essa situação”, contou.


O jovem foi encontrado desacordado por pessoas que passavam pelo local que acionou o SAMU e o levou para a Unidade Hospitalar. “Um rapaz o encontrou caído no chão, e divulgou o caso no Facebook foi assim que a notícia chegou até a gente. No mesmo dia, falei com a mãe dele e viemos para o HGE”, relatou.

LEIA MAIS:

Cozinheira trans é encontrada morta e nua em casa no MT

ONGs lançam campanha para proteger vítimas dos apoiadores de Bolsonaro

Como a agressão aconteceu horas após a divulgação das eleições, Antônio não descarta a possibilidade que o namorado tenha sido alvo dos apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro. “Infelizmente, diante tantos casos de violência nos últimos dias devido a questões políticas, a gente só consegue associar essas agressões com o resultado da eleição”, analisou.

O caso foi registrado no posto policial do próprio HGE e a investigação está sob responsabilidade da 3ª Delegacia Territorial do Bonfim (DT/Bonfim) por lesão corporal grave. Possíveis imagens das câmeras de segurança do local, onde ocorreu o crime, devem ser utilizadas para apurar o caso.