Irmãs Catherine e Ginda Utley protestam pelo direito de poder registrar um documento de união estável
Irmãs Catherine e Ginda Utley protestam pelo direito de poder registrar um documento de união estável (Foto: Acervo Pessoal/BBC)

As irmãs Catherine e Ginda Utley moram juntas há mais de 30 anos no sul de Londres e são uma das várias duplas de familiares do Reino Unido que querem conseguir a autorização para registrar sua relação como união civil.

As duas vivem juntas desde que se mudaram para o mesmo apartamento comprado por elas em 1985, e viveram juntas com a filha de Catherine. “Compramos uma casa juntas para estar perto de nossos dois irmãos e foi maravilhoso. Ela foi o meu grande apoio, sem vida.”

Catherine e Ginda querem poder registrar a união civil para desfrutar dos mesmos direitos de herança concedidos a outras pessoas que formalizaram relações.


LEIA MAIS:

“Não existe católico LGBTQ”, afirma arcebispo após sigla do movimento ser citada em texto oficial

Após brigar com a mãe, travesti é presa por andar nua pelas ruas de Patos de Minas (MG)

No Reino Unido, o assunto ficou no centro das atenções depois que o governo anunciou esta semana que a opção de união civil será estendida a casais de sexos distintos. Quando a ideia foi sugerida no Twitter por um deputado, na terça-feira (2), ele foi alvo de fortes críticas e acusações de apoiar o incesto.

A proposta que deve passar por um comitê da Câmara dos Lordes, ambos os irmãos precisariam ter mais de 30 anos de idade e vivido juntos de forma contínua durante ao menos 12 anos.