Luiz Mott
Luiz Mott (Reprodução)

Crítico ferrenho do PT, o ativista LGBT Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia, uma das mais importantes ONGs do país, declarou apoio ao presidenciável Fernando Haddad por enxergar nele “a esperança de salvar a pátria”.

Para o antropólogo, que inclusive participou das manifestações pedindo o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Bolsonaro representa a “barbárie” e, por esse motivo, ele votará em Haddad.

Leia mais:


Fernando Haddad quer criminalizar a homofobia e promete bolsas de estudos para transgêneros

Bolsonaro ignora direitos LGBT em seu plano de governo

“Declaro esse apoio apesar de eu ter tantas críticas ao PT e ao próprio Haddad, porque, quando ele foi ministro da Educação, também vetou o kit anti-homofobia junto com Dilma. O momento atual é tão trágico e perigoso que um candidato assumidamente machista solta declarações na mídia contra mulheres, negros e homossexuais”, declarou Mott em entrevista ao site “Boca News”.

“Nos últimos dias tem tido várias agressões contra gays, trans e outros. Em vista disso, optei por apoiar Haddad numa posição da civilização contra a barbárie. Porque Bolsonaro representa a barbárie e a intolerância”, afirmou.