O ator Theodoro Cochrane
O ator Theodoro Cochrane (Foto: Divulgação)

Integrando o elenco da próxima novela das 21h, “O Sétimo Guardião” que também marca o seu retorno a TV Globo após três anos, o ator Theodoro Cochrane será Adamastor Crawford que sofre uma série de conflitos a respeito a sua sexualidade. Em entrevista ao Observatório da Televisão, ele falou sobre as tramas que envolverão o personagem.

“É uma cidade pequena e ele sofre muito bullying por ele ser um homem muito elegante. Frequentemente pessoas questionam a sexualidade dele, mas ele não leva desaforo para casa. Eu acho que ele vai se apaixonar sim, mas a princípio eu tenho a sensação de que ele já é apaixonado por um dos personagens, porém eu acho que não posso falar. Ele sofre um pouco com isso, para se aceitar do jeito que é, se é gay ou não é”, analisou.

O rapaz sentirá uma atração por um bad boy homofóbico interpretado por José Loreto com quem garante que está dando certo a parceria. Eu estou curtindo muito. Primeiramente eu não conhecia o Loreto, ele é uma doce criatura. Tem sido divertidíssimo contracenar com ele. A gente tem muita cena física e poderia cair para o humor. A gente faz coisas engraçadas, temos muita vontade de rir. Eu acho que a melhor coisa é essa, você estar em cena e ter vontade de rir, de tão leve que é tudo. São cenas muito grandiosas”, adiantou.


LEIA MAIS:

“Tive ameaças de morte”, lembra Ellen DeGeneres sobre sair do armário

Em vídeo, Pabllo Vittar comenta fake news que envolvem o seu nome

Questionado se por interpretar um personagem gay ajudaria a levantar a bandeira na causa LGBT, o filho de Marília Gabriela lamentou um possível retrocesso que pode viver por causa da homofobia, mas acredita que é necessário combatê-lo. “Nós estamos num momento muito delicado para abordar certos assuntos. Mas antes de mais nada, a sensação que temos é que vamos voltar, regredir alguns passos que a gente lutou durante tantos anos para serem aceitos. Ao mesmo tempo, eu acho que é uma bandeira importante que o personagem levanta contra a homofobia. O personagem da diversidade sexual no horário das nove, definitivamente sempre atrai uma atenção para essa discussão que já é mais do que antiga. Mas infelizmente ainda é muito presente na nossa vida.”

“A gente tem candidatos que defendem certas opiniões polêmicas, porém eu sou e acho que o personagem é, o defensor do amor, da aceitação e da liberdade de expressão. Eu acho muito importante estar levantando essa bandeira, bem como tantas outras bandeiras que essa novela vai levantar”, completou.