Marcha Trans
Marcha Trans (Foto: Reprodução/Internet)

Um importante coletivo de militância em prol dos direitos dos transgêneros no Uruguai acusa igrejas evangélicas de atuarem nos bastidores para barrar um projeto de lei que concederia direito às pessoas trans do país latino-americano.

Acontece que, até pouco tempo, tramitava na Câmara do Uruguai um PL que, se aprovado, garantiria segurança e dignidade aos trans, como o direito de usar roupas e acessórios de acordo com sua identidade de gênero, além de garantir acesso à rede pública de saúde, hormonização e processo de transição e o pagamento de uma indenização às trans vítimas da repressão da ditadura militar que aconteceu no país entre os anos 1973 a 1985.

Leia mais:


Daniela Mercury celebra 5 anos de união com Malu Verçosa

Bolsonaro assina termo em que se compromete apenas com o casamento hétero e ignora união homoafetiva

No entanto, grupos evangélicos pressionaram os legisladores, que acabaram desistindo do projeto.

De acordo com informações do site “Põe Na Roda”, os profissionais de saúde do Uruguai já haviam demonstrado apoio à iniciativa. Porém, após um abaixo-assinado reunir cerca de 40.000 manifestações contra, os políticos acabaram ficando com medo e declinaram o PL.