A cantora Dua Lipa
A cantora Dua Lipa (Foto: Divulgação)

Dentre os famosos internacionais que aderiram ao movimento “#EleNão”, que protesta contra a candidatura à presidência de Jair Bolsonaro (PSL), Dua Lipa tem se mostrado como um dos mais afincos na causa, e em entrevista à “Billboard”, a cantora explicou porque decidiu aderir ao movimento.

“Alguns fãs brasileiros e outras pessoas ficaram incomodadas com o fato de eu estar usando minha voz para falar sobre a política do país, alguns deles disseram: ‘você nem é do Brasil, por que está falando sobre isso?’. Mas eu me importo com meus fãs e com tudo o que está acontecendo ao redor do mundo”, justificou.

LEIA MAIS:


Bruna Linzmeyer rejeita rótulo de lésbica no “Amor e Sexo”: “Sou o que eu quiser”

Austrália pode permitir que escolas religiosas recusem matrículas de alunos LGBTs

Ainda na publicação, Dua Lipa falou sobre a importância de se posicionar politicamente diante de cenários em que o poder está nas mãos das pessoas. “sinto que é importante para as pessoas que te apoiam e te seguem saber exatamente o que elas estão fazendo, além da importância de votar e ter o futuro nas suas mãos. São coisas nas quais eu acredito fortemente. Enquanto existirem plataformas em que posso usar minha voz por alguma causa, vou fazer isso”, concluiu.

Recentemente, a modelo brasileira Lizianne Gutierrez afirmou que foi expulsa de uma show da cantora, em Las Vegas, por estar usando uma camiseta que estampava “Ele sim”, claro posicionamento favorável à Bolsonaro.